Os Estágios do Processo de Luto e Como Superar o Luto Traumático

Comece a se sentir melhor hoje!

Conecte-se com seu terapeuta hoje e assuma o controle de sua vida, assim como nossos 500.000 clientes satisfeitos.

Luto Traumático

Os seres humanos buscam evitar a morte a todo custo. Eles nunca consideram - ou tentam não considerar - a possibilidade da morte para si próprios ou para seus entes queridos. É verdade que esquecer a morte é útil, porque viver com isso em mente é insustentável em primeiro lugar. No entanto, há uma linha tênue entre esquecer a morte e negar sua existência.

Esquecer a morte nos mantém vivos, enquanto negá-la ou ignorá-la completamente torna difícil compreender o significado da vida. Na psicologia existencial, a relação de um indivíduo com a morte é sempre vista como um difícil equilíbrio de opostos. Eles afirmam que alguém que está morrendo precisa de mais risadas. Eles expressam o desejo de viver em um lugar onde a morte é frequentemente mencionada.

Quando se trata de morte, a negação muitas vezes desempenha um papel para aqueles de nós que acreditamos que nunca envelheceremos ou estaremos saudáveis, e que estamos constantemente trabalhando por um salário melhor e lutando para obter mais curtidas no Instagram. O luto é a prática mais comum quando a morte entra em nossas vidas, não importa o quanto seja negada.

A dor intensa e prolongada sentida após a perda de um ente querido é conhecida como luto, e ela produz certos sintomas. Primeiro vem uma sensação de choque e surpresa. Depois disso, são exibidos sinais emocionais como tristeza e raiva. Sintomas físicos como distúrbios do sono, comer em excesso, comer pouco e dificuldades respiratórias também podem aparecer, assim como sintomas mentais como diminuição da adaptação e recusa em aceitar.

Qual é a Diferença entre Luto e Luto Traumático?

O luto é uma reação normal e saudável à perda, e geralmente dura entre 6 meses e um ano, dependendo da dinâmica da perda, como a proximidade da pessoa e se a morte foi repentina ou não. Segundo Kübler-Ross, existem cinco estágios do luto:1

  1. Estágio de Negação e Choque
  2. Anger Stage
  3. Negotiation Stage
  4. Depression Stage
  5. Acceptance Stage

Nestes pontos, o luto e o luto traumático diferem. O luto traumático é definido como a perda de um ente querido de maneira inesperada e repentina. Também pode ser definido como a percepção e interpretação traumáticas do processo de luto de uma pessoa, motivadas por fatores psicológicos ou sociais. Muitos sintomas e sinais de luto traumático são semelhantes aos observados no transtorno de estresse pós-traumático.

Transformação do Luto Normal em Luto Traumático

Experiências na infância e o impacto dessas experiências no estado mental do indivíduo, como em todos os casos, estão entre os fatores do luto traumático.

Além disso, dependência, reciprocidade e um senso de responsabilidade na relação da pessoa com a pessoa que faleceu estão entre os fatores que desencadeiam o luto traumático. É possível que a perda seja resultado de uma morte súbita, inesperada e brutal, ou que seja percebida como tal.

Uma mulher adulta que experimenta luto traumático, chorando no túmulo

Em 1999, foi realizado um estudo sintomático abrangente do luto traumático, e surgiram dois critérios diagnósticos verticais2:

Critério A

O Critério A inclui a morte de um parente, bem como sintomas de ansiedade de separação. Uma morte súbita, inesperada e brutal do parente da pessoa ocorre. Para fazer um diagnóstico, a morte não precisa ser objetivamente traumática. O nível de intimidade varia, mas é suficiente se a pessoa for próxima, confiável, identificada e tiver sido separada traumaticamente.

O indivíduo está lidando com a perda de um ente querido. Esses sintomas irritantes e repetitivos são sempre seguidos de desapontamento na forma de busca, saudade e anseio de tempos em tempos. A ansiedade de separação no luto traumático é repetitiva e perturbadora, prejudicando a funcionalidade.

Critérios B

Os Critérios B são indicadores legais do trauma da morte. Existem 11 sintomas básicos de luto traumático. Eles devem ser distintos e contínuos. Os seguintes são os 11 sintomas:

  • Não ser capaz de fazer sentido do futuro
  • Estar emocionalmente não responsivo
  • Sentir-se desconectado
  • Sentir-se entorpecido
  • Sentir-se chocado
  • Sentir-se petrificado
  • Dificuldade em aceitar a morte
  • Sentir que a vida é sem sentido e vazia
  • Não reconhecer que a vida poderia ter significado sem o falecido
  • Sentir que uma parte da pessoa se foi
  • Sentir que o mundo está desmoronando
  • Sentir-se inseguro
  • Pensamentos falsos sobre ter prejudicado o falecido
  • Raiva extrema, dor e desconforto sobre a morte

Pelo menos quatro destes sintomas devem estar presentes para que seja feito um diagnóstico. Finalmente, todos esses sintomas devem durar pelo menos dois meses e causar disfunção na vida social, ocupacional e em outras áreas do indivíduo.

Luto Traumático e Seu Processo de Tratamento

O tratamento do luto traumático é escolhido de acordo com as necessidades da pessoa, após avaliação dos problemas clínicos que possam ter. Essa avaliação determina qual abordagem terapêutica será útil ou a dosagem da terapia medicamentosa3.

Há diversas perspectivas na literatura sobre como iniciar o tratamento para o luto e luto traumático. O luto, segundo aqueles que acreditam ser um processo natural, não requer tratamento de rotina. No entanto, porque a pessoa que experimenta o luto traumático inicialmente enfrentará problemas mentais graves, argumenta-se que eles devem ser acompanhados4.

O luto tem impacto não apenas no indivíduo, mas também em todo o sistema familiar, especialmente quando as pessoas são afetadas pelo luto traumático. Mesmo que apenas uma pessoa procure tratamento, outros membros da família devem receber a orientação e aconselhamento necessários.

Sugestões para Tornar o Processo de Luto Saudável

Hands giving one another flowers
  • Passe tempo com pessoas que você conhece e se sente bem ao redor delas.
  • Pense sobre como você se sente e converse com alguém sobre o que você está passando.
  • Atente não apenas para a sua saúde mental, mas também para sinais importantes da sua saúde física, como quanto você come e quanto você dorme.
  • Fique atento para vícios em drogas e álcool.
  • Não hesite em procurar aconselhamento.

Por fim, recomendamos que você conclua seu processo de luto antes de fazer grandes mudanças na vida, já que inovações como mudar-se, começar um relacionamento romântico ou ter um novo filho podem atrasar e impedir a aceitação da perda de um indivíduo.

Fontes

  1. Kübler-Ross, E., & Kessler, D. (2005). On grief and grieving: Finding the meaning of grief through the five stages of loss. Simon and Schuster.
  2. Jacobs, S. C. (1999). Traumatic Grief: Diagnosis, Treatment. prevention. Philadelphia, PA, Bruner-Mazel.
  3. Sezgin, U., Yüksel, S., Topçu, Z., & Dişcigil, A. G. (2004). When is traumatic grief diagnosed? When does treatment begin? Journal of Clinical Psychiatry, 7(3), 167-175.
  4. Prigerson, H. G., Maciejewski, P. K., Reynolds III, C. F., Bierhals, A. J., Newsom, J. T., Fasiczka, A. & Miller, M. (1995). Inventory of Complicated Grief: a scale to measure maladaptive symptoms of loss. Psychiatry research, 59(1-2), 65-79.
  5. Harvard Mental Health Letter (HMHL) (2011). Coping with complicated grief. Harvard Mental
*Os artigos em nosso site não fornecem aconselhamento médico e são apenas para fins informativos. Um transtorno não pode ser diagnosticado com base nos artigos. Um transtorno só pode ser diagnosticado por um psiquiatra.