O Que é Eco-Ansiedade? Como Lidar Com o Medo das Mudanças Climáticas?

Comece a se sentir melhor hoje!

Conecte-se com seu terapeuta hoje e assuma o controle de sua vida, assim como nossos 500.000 clientes satisfeitos.

Natureza e Humanidade

A vida humana tem uma conexão inseparável com a natureza e o meio ambiente. Mesmo uma pequena caminhada na natureza é suficiente para sentir a contribuição da natureza para a saúde mental e física. Enquanto a natureza e os seres humanos coexistem, eles estão constantemente influenciando um ao outro. Por isso, uma mudança em um deles transformará o outro, direta ou indiretamente.

Hoje, há uma crise climática global inegável. Com essa crise, nós humanos inevitavelmente fomos afetados por ela biologicamente e psicologicamente em diferentes graus e continuaremos a ser afetados.

É inevitável que as mudanças climáticas levem diretamente e indiretamente a um aumento nos problemas de saúde mental. Nessa situação, é normal sentir emoções negativas como ansiedade, tristeza, preocupação e impotência. Podemos achar difícil lidar com esses sentimentos.

Para entender os efeitos da crise climática em nossa psicologia, novos conceitos entraram em nossa literatura à medida que diferentes disciplinas e visões se unem. Um deles é o conceito de eco-ansiedade discutido neste artigo1.

Ecologia e Ansiedade

A ansiedade, em seu sentido mais amplo, é um estado de intensa preocupação acompanhada pelo medo de um desastre futuro. Está mais relacionada à imprevisibilidade do futuro e à possibilidade de uma condição potencial representar uma ameaça para a pessoa. Por outro lado, a ecologia como ciência natural preocupa-se com as interações de todos os seres vivos na Terra uns com os outros e com seu ambiente.

O termo "eco-ansiedade" é derivado das palavras "ansiedade", frequentemente discutida na psicologia, e "ecologia", e também pode ser referido como ansiedade ambiental. Também é conhecido como ansiedade em relação às mudanças climáticas.

O que é Eco-Ansiedade (Ansiedade Ambiental)?

A eco-ansiedade foi definida pela Associação Americana de Psicologia (APA) como "um medo contínuo de um apocalipse ambiental" 2. Dessa forma, uma pessoa com eco-ansiedade está sempre preocupada com o meio ambiente e o futuro do mundo devido a desastres ambientais.

A eco-ansiedade é um conceito que está intimamente relacionado com a possibilidade de desastres ecológicos e a crise climática, ambos na agenda global. De acordo com essa definição, a eco-ansiedade é a incapacidade de ter certeza sobre as vidas dos seres vivos na Terra com base em dados concretos e potenciais desastres ambientais, bem como uma intensa ansiedade sobre essa incerteza1.

Sintomas da Eco-Ansiedade

Como a eco-ansiedade é diagnosticada? Você está preocupado com o meio ambiente? Os sintomas da eco-ansiedade não são muito diferentes dos sintomas gerais de ansiedade. A principal característica dessa preocupação é que seu conteúdo é orientado pelo ambiente. Aqui estão os sinais de ansiedade ambiental:

  • Sentimento de impotência em relação à crise climática
  • Um medo intenso ou ansiedade sobre questões ambientais
  • Dificuldade de concentração
  • Insônia e fadiga
  • Desapontamento e raiva com líderes globais por não fazerem mais pelo meio ambiente
  • Pensamentos obsessivos sobre o mundo e o meio ambiente
Someone Experiencing Eco-Anxiety Symptoms

A Eco-Ansiedade é um Transtorno?

A eco-ansiedade não é considerada um "transtorno" porque é uma reação natural e compreensível ao ser afetado direta ou indiretamente pelo mundo em constante mudança em que alguém vive. No entanto, as pessoas com eco-ansiedade podem evitar certas atividades em suas vidas diárias. Conforme a ansiedade piora ao longo do tempo, isso pode levar a outros problemas de saúde mental.

As pessoas que sofrem de eco-ansiedade estão constantemente preocupadas com o futuro e suas próprias vidas. Essa preocupação é válida não apenas para seus próprios futuros, mas também para as futuras gerações - em outras palavras, o futuro do mundo - ao ponto em que a eco-ansiedade às vezes pode impedir as pessoas de terem filhos2.

Além dessa ansiedade existente, as pessoas que experimentam eco-ansiedade frequentemente sentem emoções como impotência, infelicidade, tristeza e raiva em seu dia a dia. Além dos problemas físicos causados diretamente pelas mudanças climáticas, também podemos enfrentar problemas psicológicos como ataques de pânico ou depressão como resultado dos efeitos emocionais de longo prazo3.

Quem Sofre de Eco-Ansiedade?

Todos que são sensíveis ao meio ambiente experimentam eco-ansiedade. No entanto, alguns grupos são mais vulneráveis à eco-ansiedade por uma variedade de razões, incluindo condições de vida e expectativas futuras. Estes são os grupos:

  • Pessoas deslocadas internamente (IDPs)
  • Aqueles que vivem em regiões áridas
  • Trabalhadores de campo em desastres ambientais
  • Pessoas com transtorno de ansiedade ou transtorno depressivo maior
  • Grupos de baixa renda
  • Crianças pequenas, adolescentes e idosos
Climate Crisis and Eco-Anxiety

Eco-ansiedade em Crianças e Adolescentes

Estudos mostram que a eco-ansiedade está se tornando mais comum, especialmente entre crianças e jovens adultos. Este grupo será afetado pela crise climática e seus possíveis efeitos negativos por mais tempo e, portanto, o mais. Portanto, pessoas dessa idade estão mais preocupadas com o futuro.

Neste ponto, existem algumas ideias de como os adultos podem ajudar seus filhos a passar por esse processo mais facilmente. Por exemplo, ajudar as crianças a entender o que está acontecendo, permitindo que expressem suas preocupações e sentimentos por meio de jogos e desenhos, protegendo-as o máximo possível de informações confusas que possam vir da mídia e dando-lhes mais tempo na natureza pode tornar o processo mais fácil4. Então, o que mais podemos fazer para parar a eco-ansiedade?

Como Lidar com a Eco-Ansiedade

A eco-ansiedade está se tornando mais comum, especialmente em situações que ameaçam diretamente a natureza e a sobrevivência humana, como a atual pandemia de COVID-19 ou a crise climática1.

Em nosso país, houve poucas pesquisas sobre a eco-ansiedade, mas desastres ambientais e suas potenciais consequências negativas podem causar ansiedade intensa. Isso, quando acompanhado de emoções intensas, pode ter um impacto negativo em nossas vidas diárias. Então, o que pode ser feito para aliviar a eco-ansiedade? Aqui estão algumas ideias de como lidar com isso:

  • Verificar apenas fontes confiáveis de informações sobre a crise climática e desastres ambientais. Evitar notícias falsas o máximo possível.
  • Não seguir contas que compartilham cenários de desastres ambientais nas redes sociais.
  • Estar ciente dos pensamentos e sentimentos sobre desastres ambientais e reservar um espaço para eles.
  • Conectar-se com pessoas que têm sentimentos semelhantes sobre a crise climática, compartilhar sentimentos e pensamentos e obter apoio social.
  • Tomar medidas motivadas pela preocupação. Dar passos individuais, ainda que pequenos, para prevenir a crise climática.

Como dito anteriormente, a eco-ansiedade é uma condição humana, composta por sentimentos e preocupações sobre o futuro. Não é uma patologia. Os seres humanos existem enquanto o mundo em que vivem existe. Portanto, é compreensível que qualquer destruição potencial do mundo ou destruição terá consequências físicas e psicológicas nas pessoas.

Neste ponto, o que faz diferença é buscar maneiras de equilibrar nossa ansiedade, permitindo espaço para as emoções sentidas, não ter medo de buscar apoio social e mental, e conscientizar-se das medidas que podemos tomar como indivíduos para melhorar nosso mundo.

Sources

  1. Kara, Y., 2022, Ecological Crisis and Anxiety: Eco-Anxiety as a New Concept, Dokuz Eylul University Journal of Social Sciences Institute.
  2. Aras, B. B. & Demirci, K., 2020, Psychological Effects of Climate Change on Human Health, Review Article.
  3. Cankardaş, S. & Sofuoğlu, Z., 2021, Review of Climate Change and Its Effects on the Individual, Nesne Journal of Psychology.
  4. Mayavakfi.org
*Os artigos em nosso site não fornecem aconselhamento médico e são apenas para fins informativos. Um transtorno não pode ser diagnosticado com base nos artigos. Um transtorno só pode ser diagnosticado por um psiquiatra.