Um Produto Químico que Vale uma Recompensa: Dopamina e Suas Funções

Comece a se sentir melhor hoje!

Conecte-se com seu terapeuta hoje e assuma o controle de sua vida, assim como nossos 500.000 clientes satisfeitos.

Dopamina

No momento, você está em um trem cujos trilhos são colocados entre as profundezas do céu e as belezas escondidas da terra. Você entende, pelo doce poder do vento batendo em seu rosto, que está em uma jornada muito rápida. Apesar dessa velocidade, você avança, aproveitando ao máximo tudo ao seu redor.

Você está passando por uma cachoeira em uma floresta mágica, acompanhado por cores que nunca viu antes, música que faz sua alma dançar com cada nota em seu coração, e aromas que farão você esquecer os sabores que sente. Você está no meio de um festim visual onde o oceano, o mar e os rios se encontram.

O que é isso? Quando você vê uma fonte de água em uma distância com seu tamanho gigantesco e esplendor, você percebe o quão sedento está naquele momento e tenta correr para beber água. Você bebe, mas nunca fica satisfeito. Então você abre os olhos!

Você estava realmente em um sonho. Quando acorda, vê que está realmente com sede. Você vai até a cozinha, pega um copo d'água e se sente muito melhor quando o bebe.

A Dopamina produz experiências "sentir-se bem", como a descrita neste sonho. Neste artigo, discutiremos a dopamina, que motiva necessidades não atendidas, como levantar da cama e beber água, e desempenha um papel em muitas áreas diferentes, juntamente com a satisfação.

O que é Dopamina?

A dopamina é às vezes chamada de hormônio, mas na verdade é um neurotransmissor. Em outras palavras, é uma substância química cerebral que é naturalmente produzida pelo corpo humano e é usada na comunicação entre as células nervosas no cérebro. No entanto, como esses dois termos são frequentemente usados de forma intercambiável, a dopamina é referida como o hormônio dopamina.

A dopamina é essencial para o funcionamento adequado tanto do corpo quanto do cérebro. A dopamina é o mensageiro que as células nervosas usam para se comunicar entre si. Ela é produzida por um grupo de células nervosas no centro do cérebro e envia mensagens para outras partes do cérebro por meio do sistema de comunicação.2. A qualidade do fluxo desse sistema é benéfica tanto para processos fisiológicos quanto psicológicos.

No entanto, é importante lembrar que a dopamina é apenas um dos hormônios que contribuem para nosso bem-estar e que ela não serve apenas a um propósito. Embora seja conhecida por fazer as pessoas se sentirem bem, especialmente quando combinada com a serotonina, que também é chamada de "hormônio da felicidade", isso não é tudo o que ela faz.

a man with his hands up in dopamine happiness

O que a Dopamina Faz?

Qual é a função da dopamina? A dopamina é considerada desempenhar um papel importante em muitas funções corporais. A dopamina é um produto químico cerebral que não apenas nos faz sentir bem, mas também atua em muitas partes diferentes do corpo. A dopamina desempenha as seguintes funções:

  • A sensação de estar apaixonado
  • Regulação do humor e das emoções
  • Comportamentos de busca de prazer e recompensa
  • Regulação dos movimentos (funções motoras)
  • Percepção da dor e do sofrimento
  • Regulação do sono
  • Desenvolvimento de dependência
  • Memória
  • Aprendizado
  • Atenção e foco

Esse importante neuroquímico, conhecido como o "hormônio do bem-estar", melhora o humor ao mesmo tempo em que aumenta a motivação e a atenção. Ele também desempenha um papel importante na regulação do movimento, aprendizado e respostas emocionais1.

Além de sua primeira função, o aspecto mais importante da dopamina é a recompensa. Sentimos prazer, até euforia, quando nos envolvemos em comportamentos como comer, beber água, ganhar competições e ter relações sexuais, e queremos reforçar esses comportamentos. Todos esses fatores nos incentivam a viver e a reproduzir.3.

O Papel da Dopamina no Amor

A dopamina é uma substância química antiga que é responsável por uma variedade de atividades humanas complexas em comparação com as de outros organismos, como o amor, a criatividade e até mesmo o compromisso político3. Você teria imaginado que uma substância química poderia estar envolvida em tantos aspectos de nossas vidas?

A couple who is in love and has high dopamine levels

Bodily Functions of Dopamine

Dopamine, as previously stated, plays a role in learning and attention, mood, and movement, as well as the following4:

  • Pulsação
  • Função renal
  • Função dos vasos sanguíneos
  • Sono
  • Processamento da dor
  • Amamentação

Além disso, a dopamina é liberada na corrente sanguínea e desempenha um papel secundário na resposta de "lutar ou fugir". A resposta de lutar ou fugir é a reação do corpo quando há uma necessidade percebida de fugir do perigo ou quando há uma situação estressante real5.

O que a dopamina faz?

A dopamina estimula seu desejo de querer, desejar e buscar. Eleva seu nível geral de excitação e incentiva comportamentos direcionados a objetivos. Desperta seu interesse por ideias e alimenta sua sede de conhecimento1.

A quantidade de dopamina que sentimos ao atender uma necessidade física ou realizar uma tarefa rotineira pode não ser a mesma que sentimos quando alcançamos nossos objetivos ou realizamos nossos sonhos.

O Outro Lado da Dopamina do Bem-Estar

A dopamina pode desencadear uma reação em cadeia de repetições em busca de recompensa de comportamentos prazerosos, que vão desde checar o Instagram com frequência até abuso de substâncias. Além disso, a deficiência ou abundância de dopamina pode causar uma variedade de problemas1:

  • Doença de Alzheimer
  • Transtorno do déficit de atenção e hiperatividade
  • Psicose e esquizofrenia
  • Doença de Parkinson
  • Impedimentos mentais no período de desenvolvimento
  • Transtornos depressivos
  • Compulsão alimentar
  • Vício e jogos de azar
  • Tremores e desorientação
  • Falta de foco e baixa energia
  • Fadiga e exaustão
  • Movimento lento o suficiente para que outros notem

Tolerância à Dopamina e Jejum de Dopamina

O que é uma limpeza ou jejum de dopamina? O objetivo do jejum de dopamina, desenvolvido por um psiquiatra californiano chamado Dr. Cameron Sepah, pode ser alcançado usando um método baseado em terapia cognitivo-comportamental. Mensagens, notificações, alertas sonoros e toques, que são estímulos prejudiciais em uma sociedade moderna baseada em tecnologia, podem ser menos importantes6.

Este método tem o objetivo de dar um descanso ao nosso cérebro dessa "bombardeio" que poderia se tornar viciante e dar-lhe a chance de recarregar, em vez de reagir automaticamente a estímulos que nos proporcionam energia imediata, mas de curta duração, como prazer e recompensa.

No final, este método trata de retomar o controle de nossas vidas e aprender a lidar com comportamentos compulsivos e impulsivos que podem atrapalhar nossa felicidade. Isso é feito nos dando espaço para nos sentirmos solitários e entediados ou para desfrutar de coisas mais simples e naturais6.

Reduzindo a Tolerância à Dopamina

Embora o conceito de "tolerância" nas relações humanas signifique aceitação, seu significado neste contexto é diferente. Suponha que você não tome café com muita frequência. Nesse caso, uma xícara de café pode ser suficiente para te despertar e fazer você se sentir energizado e bem, mas se você continuar a tomar café, mesmo 3-5 xícaras terão pouco efeito sobre o seu corpo (considerando que não consideramos os danos da cafeína).

Afinal, um aumento na quantidade de cafeína, ou seja, a quantidade de café que produzirá um efeito significativo e excitação, e assim o desejo por mais, pode ser descrito como desenvolvimento de tolerância.

Este conceito, ilustrado com cafeína, é fundamental para compreender a lógica do jejum de dopamina ou detox de dopamina: Quando exposto a um excesso de dopamina que produz gratificação instantânea - ou seja, quando é bombardeado - nosso corpo, que é programado para manter a homeostase, ou equilíbrio corporal, desenvolve uma tolerância às atividades padrão ao longo do tempo.

Como resultado, até mesmo ações simples que nos beneficiariam em nossa vida diária se tornam difíceis para nós. Estamos extremamente entediados e incapazes de nos concentrar. Queremos novas experiências para nos animar. Estamos sempre procurando por mais, seja útil ou saudável.

Dizer "Pare" para a Corrida pelo Prazer Instantâneo (Jejum de Dopamina)

Mesmo que passemos horas olhando todas as postagens interessantes na seção "Explorar" do Instagram ou em recomendações de conteúdo semelhantes no YouTube, para as quais vamos apenas para assistir na hora do almoço, um ser inteligente como um humano não aceitaria o papel de vítima cuja resposta é automatizada. Parece ser uma rota de fuga bastante simples. É aqui que o conceito de jejum de dopamina entra em jogo, oferecendo uma pausa na estimulação constante.

Quando percebemos que há coisas que podemos mudar, ganhamos controle sobre nossas vidas. Uma vez reconhecido isso, temos controle total sobre o tamanho e formato dos passos que damos em direção à mudança. O jejum de dopamina pode ser um desses passos, nos dando a chance de redefinir e recuperar o controle sobre nossas respostas.

Dada a nossa adaptação à gratificação instantânea, torna-se evidente que podemos nos envolver em atividades mais desafiadoras, como exercícios físicos, pintura, leitura, escrita ou nos imergirmos na natureza. Essas atividades não apenas aumentam nossa produtividade, mas também promovem crescimento pessoal. Incorporar o jejum de dopamina em nossa rotina pode tornar essas tarefas mais fáceis de realizar, reduzindo nossa constante necessidade de gratificação instantânea.

É importante lembrar que mudar nossos hábitos, mesmo que seja para melhor, leva tempo, esforço e consistência. Portanto, é compreensível que você esteja encontrando dificuldades. Quando estamos lutando, pode nos trazer grande conforto saber que estamos fazendo um investimento valioso em nós mesmos. Talvez agora seja o momento certo para fazer isso. O que você acha?

*Os artigos em nosso site não fornecem aconselhamento médico e são apenas para fins informativos. Um transtorno não pode ser diagnosticado com base nos artigos. Um transtorno só pode ser diagnosticado por um psiquiatra.